562 anos depois de sua morte, corpo de Santa Rita de Cássia permanece intacto sem se decompor

"Santa Rita, Advogada dos Impossíveis, rogai por nós.”

Santa Rita de Cássia, foi uma monja agostiniana, que viveu no mosteiro de Santa Maria Madalena, até que uma grave pneumonia, a fez descansar em 22 de maio de 1457. A santa italiana, nasceu em 1381, filha de pais cristãos católicos, com fama de casal caridoso, desde cedo Rita tinha vontade de ajudar o próximo e sofria ao ver alguém passar necessidade ou dor.

Em sua adolescência decidiu que queria se dedicar ao serviço de Deus e tentou entrar para o convento, mas por insistência dos pais ela acabou se casando, com o filho de um dos homens mais ricos e poderosos da redondeza, um nobre chamado Paolo Mancini.

Mas, logo nos primeiros anos, ele mostrou o quanto era ignorante e agressivo, porém, ela foi fiel em sua promessa e suportou os abusos, insultos e infidelidades por longos anos. Com o tempo ele foi amansando e se tornou um homem carinhoso e bom, eles tiveram dois filhos, Giangiacomo Antonio e Paulo Maria.

Mas, infelizmente uma tragédia aconteceu e seu esposo foi assassinado, Rita agora estava sozinha e teria que criar seus filhos sozinha, mesmo assim ela liberou perdão ao assassino de Paolo, em público, no discurso do velório. Mas, isso ainda não foi o pior, o tio dos meninos, chamado Bernardo, irmão de Paolo, os motivou a vingar a morte do pai, matando o acusado.

A santa fez de tudo para tirar isso da mente de seus filhos, como não conseguia, orava a Deus, para que os levasse, em vez de submetê-los a tais pecados mortais, e assim aconteceu, os dois filhos de Rita morreram pouco tempo depois, de morte natural.

Após perder filhos e esposo, Rita pôde realizar seu sonho e desejou entrar no mosteiro de Santa Maria Madalena em Cássia, mas foi recusada, por conta da morte violenta de Paolo. Ela não desistiu e mais uma vez se colocou em oração, como tudo que pedia, Deus realizava. Pouco tempo depois, foi admitida pela Madre Superiora.

Em seu tempo de religiosa, vários milagres aconteceram, inclusive um sinal que surgiu em sua testa quando orava junto aos pés de Cristo. Na hora de sua morte, as irmãs do convento banharam e vestiram seu corpo para o enterro. Elas notaram, no entanto, que o ferimento na testa continuava o mesmo, com gotas de sangue refletindo luz.

Conhecida como a Santa dos desesperados e advogada das causas impossíveis, 562 anos depois de sua morte, seu corpo permanece intacto.