Admirado, respeitado e amado, Boechat era mais que um jornalista, ele era uma pessoa verdadeira

Morreu na tarde de ontem Ricardo Boechat, um dos jornalistas mais respeitados da imprensa brasileira, aos 66 anos sua vida foi embora em um sopro.

Ricardo Eugênio Boechat, nasceu em Buenos Aires em 13 de julho de 1952 e faleceu de forma trágica na manhã de ontem 11 de fevereiro de 2019. Aos 66 anos, ao retornar de uma palestra em Campinas, SP, a aeronave que transportava o jornalista, apresentador e radialista, perdeu o controle e chocou-se em queda livre com um caminhão na rodovia Rodoanel na manhã dessa última segunda-feira.

A noticia da morte de Boechat foi oficialmente transmitida pela Rede de Televisão Bandeirantes e a anunciar foi o amigo e companheiro José Luiz Datena. Datena ao anunciar não conseguiu deter suas lagrimas diante da fatalidade que levou desse mundo o grande jornalista amado e respeitado Ricardo Boechat.

Ricardo era considerado um dos maior nomes do jornalismo brasileiro. Humano, querido, corajoso e dedicado em tudo o que fazia, jamais se assustava diante de uma matéria a ser enfrentada e desvendada com profundidade, pelo contrario, ele era a excelência no que fazia e o fazia com muita dedicação. Ele era sim, um grande exemplo a todo aspirante a jornalista, radialista e apresentador.

Segundo o site Hypeness, Boechat é o precursor das pequenas notas emitidas em jornais, e para seus colegas ele era exemplo de como deveria ser um jornalista. Ainda nos tempos de O Globo, o homem nascido em Buenos Aires, mas carioca de coração, deu o pontapé inicial no trabalho exercido atualmente por Ancelmo Goes e Mônica Bergamo.Clique na seta abaixo, após a publicidade, para continuar lendo a matéria.

PRÓXIMA PÁGINA
1 / 3