Vaticano adverte os crentes dos perigos do Evangelho da Prosperidade

O evangelho da prosperidade tem sido muito disseminado no seio da igreja contemporânea trazendo mortandade espiritual para a igreja.

É neste enredo que o Vaticano alertou os evangélicos para tal perigo.

O evangelho da prosperidade é uma crença perigosa que pode “ofuscar o Evangelho de Cristo”, escreveram os conselheiros de comunicação do papa em um jornal aprovado pelo Vaticano.
“O risco dessa forma de antropocentrismo religioso, que coloca o homem e seu bem-estar no centro, é que ele transforma Deus em um poder a nosso serviço, a Igreja em um supermercado de fé e a religião em um fenômeno utilitário que é eminentemente sensacionalista e pragmático”, escreveram no jornal jesuíta La Civiltà Cattolica.
O evangelho da prosperidade, que promete saúde e riqueza aos cristãos, é um “pseudo-evangelho”, segundo os autores Antonio Spadaro e Marcelo Figueroa.
A teologia faz Deus “à imagem e semelhança do povo e sua situação, e não de acordo com o modelo bíblico”.
O artigo dizia que tal teologia dá às pessoas a falsa crença de que, por não serem ricas, elas não são fiéis.
“Pelo contrário, a pobreza os atinge com um golpe que é insuportável por duas razões: primeiro, a pessoa pensa que sua fé é incapaz de mover as mãos providenciais de Deus; segundo, sua situação miserável é uma imposição divina, um castigo implacável para ser aceito em submissão ”.
O artigo também cita o papa Francisco, que disse aos bispos latino-americanos e caribenhos que o evangelho da prosperidade faz a igreja “funcionar como um negócio de maneira enganosa, que afasta as pessoas do mistério da fé”.